quinta-feira, 17 de junho de 2021

O vazio dói muito mais que a saudade

 Ontem rasguei a saudade, entre raiva e angustia
A fiz de meros pedaços de trapos atirado ao tempo
Atirei, com toda a força da alma, para bem longe
Como fosse folha caída levada a esmo pelo vento

Pendurei nos olhos algumas lágrimas teimosas
Dessas que quase não saem, que quase não caem
E as deixei ficar no desespero de ficarem assim
Perdidas, aparvalhadas pelo vazio de dentro de mim

Ontem, impiedosamente, fiz da saudade... trapos
Rasguei até pedaços de tempos antigos, momentos
Que entre as angustias se faziam também tormentos

Depois, sentei de frente para a tarde, olhando longe,
Escutei, não sei se o pensamento ou o silêncio
Dizendo baixinho: - não tem história sem saudade.

- Também não tem prantos, nem dores, nem tristezas
- Também não tem recordações, suspiros de lembranças...
Vai ficar apenas o vazio, e dói bem mais, essa é a verdade

José João
17/06/2.021

Muito além que apenas viver.

 Vem, fica aqui dentro de mim, dos meus sonhos,
Que minha alma se alegra e canta cantos divinos.
Vem, fica aqui dentro de mim como se fosses
Meu pedaço mais perfeito e mais completo,
Deixo que povoes meus momentos e, deles,
Se faça dona e eu cativo servo a te entregar
O que mais possa te fazer flutuar no tempo...
Como se a vida fosse uma bela poesia para cantar
Ou o mais belo sonho que tua alma possa sonhar.
Vem, deixa que meus olhos te contem histórias
Escritas em lágrimas alegres no meu rosto,
Que meu sorriso seja apenas o reflexo do teu.
 Ah! Essa posse!!! Que mais me liberta...
Que mais me prende na liberdade de amar,
Que me permite gritar, bem alto, no tempo
Que a vida vai muito mais além que apenas viver.

José João
17/06/2.021

terça-feira, 15 de junho de 2021

Que chegue logo a manhã

Solidão, porque não dormes? Porque insistes tanto?
Porque insistes em deixar a noite acordada em mim?
Como se meus olhos, passeando tristes na escuridão,
Nada precisassem ver, apenas sentir e me deixar assim.

Perdido no vazio sem nem poder olhar as estrelas lá fora
Ouvindo o silêncio me contando o que não quero ouvir
E o vagar da alma, nos pensamentos que não sei dizer
Se perdem naquilo que ela, a alma triste, só sabe sentir

Vagueio no escuro do tempo, ávido pelo alvor do dia
Esperando ansioso que chegue, mas até ainda não sei
Se com ele a solidão se vai e me dixa ao que me dei

Com o alvor do dia me darei a buscar sonhos e sonhar,
Me fazer de uma história que só eu sei como contar
E entre as tantas angustias, sorrir como se fosse chorar

José João
15/06/2.021

Te levo sempre comigo

Que bom foi te encontrar entre os tantos desencontros!
Me ver dentro de teus olhos e tu... vendo minha alma.
Quem bom que ela te diga de mim o que não sei dizer,
Que bom é gritar que agora o sentimento me deixa viver

Falar de amor, brincar de pintar fantasias no tempo,
Buscar sonhos e emoções que nunca havia sentido
Cantar versos cheios de ternura com gosto de beijos
E ficar parado no tempo desenhando os desejos

Te levo na alma, dentro de mim, onde quer que esteja.
No tempo, na vida, nos sonhos, só me permito você
Desenho teu rosto nas nuvens para que sempre te veja

Caminho no tempo sem medo, sem pressa nenhuma,
Se te levo comigo cada instante é um... eternamente
E a alma, como crinaça, grita, pula e canta alegremente

José João
15/05/2.021
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...