quinta-feira, 17 de junho de 2021

O vazio dói muito mais que a saudade

 Ontem rasguei a saudade, entre raiva e angustia
A fiz de meros pedaços de trapos atirado ao tempo
Atirei, com toda a força da alma, para bem longe
Como fosse folha caída levada a esmo pelo vento

Pendurei nos olhos algumas lágrimas teimosas
Dessas que quase não saem, que quase não caem
E as deixei ficar no desespero de ficarem assim
Perdidas, aparvalhadas pelo vazio de dentro de mim

Ontem, impiedosamente, fiz da saudade... trapos
Rasguei até pedaços de tempos antigos, momentos
Que entre as angustias se faziam também tormentos

Depois, sentei de frente para a tarde, olhando longe,
Escutei, não sei se o pensamento ou o silêncio
Dizendo baixinho: - não tem história sem saudade.

- Também não tem prantos, nem dores, nem tristezas
- Também não tem recordações, suspiros de lembranças...
Vai ficar apenas o vazio, e dói bem mais, essa é a verdade

José João
17/06/2.021

Muito além que apenas viver.

 Vem, fica aqui dentro de mim, dos meus sonhos,
Que minha alma se alegra e canta cantos divinos.
Vem, fica aqui dentro de mim como se fosses
Meu pedaço mais perfeito e mais completo,
Deixo que povoes meus momentos e, deles,
Se faça dona e eu cativo servo a te entregar
O que mais possa te fazer flutuar no tempo...
Como se a vida fosse uma bela poesia para cantar
Ou o mais belo sonho que tua alma possa sonhar.
Vem, deixa que meus olhos te contem histórias
Escritas em lágrimas alegres no meu rosto,
Que meu sorriso seja apenas o reflexo do teu.
 Ah! Essa posse!!! Que mais me liberta...
Que mais me prende na liberdade de amar,
Que me permite gritar, bem alto, no tempo
Que a vida vai muito mais além que apenas viver.

José João
17/06/2.021

terça-feira, 15 de junho de 2021

Que chegue logo a manhã

Solidão, porque não dormes? Porque insistes tanto?
Porque insistes em deixar a noite acordada em mim?
Como se meus olhos, passeando tristes na escuridão,
Nada precisassem ver, apenas sentir e me deixar assim.

Perdido no vazio sem nem poder olhar as estrelas lá fora
Ouvindo o silêncio me contando o que não quero ouvir
E o vagar da alma, nos pensamentos que não sei dizer
Se perdem naquilo que ela, a alma triste, só sabe sentir

Vagueio no escuro do tempo, ávido pelo alvor do dia
Esperando ansioso que chegue, mas até ainda não sei
Se com ele a solidão se vai e me dixa ao que me dei

Com o alvor do dia me darei a buscar sonhos e sonhar,
Me fazer de uma história que só eu sei como contar
E entre as tantas angustias, sorrir como se fosse chorar

José João
15/06/2.021

Te levo sempre comigo

Que bom foi te encontrar entre os tantos desencontros!
Me ver dentro de teus olhos e tu... vendo minha alma.
Quem bom que ela te diga de mim o que não sei dizer,
Que bom é gritar que agora o sentimento me deixa viver

Falar de amor, brincar de pintar fantasias no tempo,
Buscar sonhos e emoções que nunca havia sentido
Cantar versos cheios de ternura com gosto de beijos
E ficar parado no tempo desenhando os desejos

Te levo na alma, dentro de mim, onde quer que esteja.
No tempo, na vida, nos sonhos, só me permito você
Desenho teu rosto nas nuvens para que sempre te veja

Caminho no tempo sem medo, sem pressa nenhuma,
Se te levo comigo cada instante é um... eternamente
E a alma, como crinaça, grita, pula e canta alegremente

José João
15/05/2.021

sábado, 12 de junho de 2021

Tudo ficou para trás

Nunca minhas lágrimas doeram tanto em meus olhos
Como doem agora. Nunca a solidão se fez tão forte
 Minha alma grita em desespero, chora as saudades
E vou por caminhos perdidos, sem rumo e sem norte

Lá de dentro, de sonhos esquecidos... uma recordação
Me chega como uma tempestade impetuosa a ferir-me
Coração e alma, e uma dor lancinante, pior tormento
Me toma todo me deixa inerte, louco, sem pensamento

Grito desesperado um nome e do tempo vem um rosto
Com sorrisos antigos  nos lábios, beijos escondidos
E loucura de ver outra vez os tantos momentos vividos

Entre essa beleza do estar, do sentir, do ser e do amar,
Das entregas, dos momentos onde tudo era sempre mais
Santa  saudade... mas agora vejo, tudo ficou para trás


José João
12/06/2.021

quinta-feira, 10 de junho de 2021

Não sei responder...mas

Não pergunte. Não saberia responder,
Talvez tenha sido teus olhos,
cheios de alegria, ou teu sorriso,
brincando no teu rosto
com jeito de criança.
Não sei se foi a beleza dos teus cabelos
Acariciando teu rosto! Não sei se foi
o destino marcando corações,
Esses corações que estão sozinho...não sei.
Sei apenas que te senti.
Talvez tenha sido um anjo,
Desses anjos criança, marotos,
Cheios de ternura e, me vendo assim,
Vazio, até de mim, te trouxe.
Talvez tenha sido minha louca
Vontade de ser feliz e fazer alguém feliz...
Não sei...só sei que minha alma
Te viu...sorriu ...e te quis.

José João
10/06/2.021

segunda-feira, 7 de junho de 2021

Depois que te conheci

Amor depois que te conheci
Descobri que existem jardins, existem flores...
Perfumadas, de pétalas luzidias brilhando ao sol.
Depois que te conheci descobri que as estrelas
Existem, são belas, brilham como teus olhos,
Enfeitam os sonhos e contam histórias de ninar.
Nelas te fazem meu anjo, meu doce anjo mulher.
Depois que te conheci, descobri que os sorrisos
Enfeitam o mundo, enfeitam a vida, brincam
De dizer coisas bonitas, alegres e até aliviam dores...
Minha menina, depois que te conheci me vi
Correndo entre sonhos que agora se deixam sonhar,
Até minha alma, antes tristonha, agora sorridente,
Aprendeu a dizer te amo, sem medo dos amanhãs.
Amor, depois que te conheci, percebi que viver
É isso, é te deixar dentro de mim, brincando,
Como se fosses criança me ensinando ser feliz.
Depois, querida, que te conheci... me sinto vivo.
Como se viver fosse isso, não ter mais medo
De viver os amanhãs

José João
07/06/2.021

sexta-feira, 4 de junho de 2021

Você ainda está aí?!

Onde você está? Ainda está aí? Apresse-se 
Que estou te esperando, sim, te esperando,
Com todas as folhas novas do outono,
Com flores de todas as primaveras,
Com sonhos novos que me fizeste sonhar,
Tenho até um olhar novo, diferente,
Um olhar só teu, um olhar que nunca olhou ninguém.
Vem, te apressa. Me limpei de todas as saudades,
Desfiz prantos, dei um novo sorriso às lágrimas,
Me fiz canto, me fiz canção...tudo pra ti.
Reinventei rimas em versos completos,
Te escrevi nas linhas, te amei nas entrelinhas,
Apaguei cada um ponto final. Meu verso
Não tem fim, Comecei com teu nome...
No meio do verso gritei te amo, e o verso...
Ah! O verso ficou infinito, cheio de ti.
E entre os tantos sonhos que me fizeste sonhar
Em um, te carreguei no colo, te beijei a fronte,
Te fiz dormir, e busquei um anjo, sim um anjo
Pra embalar teu sono, e eu te ver criança,
A me fazer sorrir...

José João
04/06/2.021

Viver...sem deixar vazios para depois.

A mim, importa viver intensamente todos os dias,
Que a cada hora a intensidade de viver me tome todo,
Que os dias passem se espremendo entre minhas mãos
E eu, sem medo das horas, me entregue a viver amores
Sem temor de chorar, sem temor de prantos ou angustias.
Quero ser intenso a cada momento e sentir o prazer
De olhar nos olhos de quem amo e ver poesia... e ver paz.
Se tiver que correr entre as horas para chegar mais depressa
Ao que me proponho, vou correr com o vento, em suaves volteios, 
Indo sem paradas, por entre jardins, sonhos e quintais... da vida
Não quero deixar espaços vazios enquanto estiver pleno e repleto
De mim para entregar toda a volúpia que minha alma,
Entre vontades, desejos, ânsias e sonhos, se desnuda toda
A mim importa viver intensamente todos os dias...mas
Sem deixar vazios para os outros amanhãs, sem estar completo, 
Ser um ser inacabado para sempre aprender-te mais.

José joão
04/06/2.021


Para sempe

Perdoa amor, se apenas agora te encontrei,
Mas não foi culpa minha, te levava comigo
Por onde eu fosse, sem mesmo te conhecer.
Perdoa amor, por te fazer todos os meus sonhos
Sem que deles soubesses, por te deixar
Dentro de mim, carinhosamente guardada,
Sem que nem soubesses de minha existência.
Perdoa por só agora te encontrar, mas, amor,
Todos os meus amanhãs serão teus, só teus,
Vou deixa-los repletos de amor (só pra ti)
Vou até inventar carinhos para te dar todos,
Sem que nunca ninguém os tenha sentido.
Vou te amar tanto e de tal forma que, acredite,
Até o próprio amor sentirá inveja de ti
E te dirá: Nunca vi ninguém amar tanto!
Perdoa se só agora te encontrei, mas farei,
Querida, que sejam eternos os nossos momentos,
Te amo, eternamente ... te amo.
(sem lágrimas, apenas sorria) 

José João
04/06/2.021

terça-feira, 1 de junho de 2021

Abriram minha caixinha de guardar angústias

 Ontem, numa caixinha de guardar angústias,
Deixei algumas palavras tristes, nela guardadas
Queria fazer uma poesia triste, dessas de prantos
Hoje fui busca-las mas... pra meu tanto espanto

Já não estavam lá, não sei como, mas aconteceu,
As palavras tristes se foram não as encontrei mais
Mesmo com a gaveta de guardar angústias, fechada.
De tristeza e angustia, juro, não encontrei nada

Será teria sido aquele olhar doce e terno que vi?
Será que foi aquele sorriso lindo que me deram?
Não sei, mas que estranho a doçura que senti!

E da gaveta de guardar angustias saíram risos,
Palavras ternas, cheias de vontade de voar
Tudo ficou alegre e eu, sem vontade de chorar

José João
01/06/2.021.

Te amar é tão divertido!!

 A mim não importa apenas dizer... te amo
Quero que vejas, e a isso, sabes, sempre tento
Como aquela flor que te busquei pulando o muro
Ris! Que queda, hem! A te olhar não fiquei atento

Mas não importa... apenas dizer te amo, é pouco
E que loucuras me iluminam ou me inspiram
A fazer-te o que te possa, a meu ver, te agradar?
Correr na chuva rsrs caí... na tentativa de te guardar

Mas que importa? apenas dizer te amo é muito pouco
Não pedes que te prove mas é de mim essa vontade
Que posso fazer se em mim esse querer é louco?

Dou-me ao prazer de te olhar como fosses sonho
E até de sonhar, apenas contigo, a isso me proponho
E na minha loucura, nos teus sonhos, eu me ponho

José João
01/06/2.021

Razão ou loucura?

 
Nunca haverá de ser menor esse amor que sinto
Que mais, eu sei, parece loucura, longe da razão,
Mas que seria a razão para os amantes convictos?
Não seria a loucura, para o amor, outra versão?

Onde não haveria nenhum temor em ser ridículo
E lágrimas e prantos e risos se misturassem no rosto
Que seria ridículo nessa loucura divina de amar?
Nada, pois que ridículo é não ter tido tempo de chorar

Não de chorar esse pranto triste, cheio de nada,
Cheio apenas do vazio inundando a pobre alma
Que nem orações rezadas avulso a ela acalma

Mas a loucura de misturar lágrimas, prantos e risos
Num sorrir alegre e louco, numa beleza completa.
Para a loucura não existe essa de razão e hora certa

José João 
01/06/2.021
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...