sexta-feira, 11 de maio de 2012

Minha alma triste


Minha alma é triste como ave perdida
Que sozinha voa a lugar nenhum
Minha alma é triste como flor podada
Atirada ao chão sem enfeitar mais nada

Minha alma é triste como a andorinha
Caída ao chão, coitada, sem poder voar
Lhes quebraram as asas por cruel despeito
E ela triste pedindo ao tempo: vem me matar

Minha alma é triste como triste é o rio
Morrendo aos pouco por tão longo estio
Minha alma é triste como a mãe que chora
A perda do filho que lhe foi embora

Minha alma é triste como badalar do sino
Que o exilado, a Ave Maria, reza sozinho
Minha alma é triste como triste é o canto
Que vem misturado entre soluço e pranto

Asim minha alma, que já nem sei se existe
Mesmo com essas dores vivas em viver insiste
Mas que vida que lhe mata aos poucos!
Ou que lhe impõe a viver como vivem os loucos


José João

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...