terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Você ainda é o que eu sou

Guardei minha voz para ouvir o silêncio,
É ele quem te traz pra mim, na suavidade de um sonho,
Um sonho inocente, com apenas a ternura de teu ser
A me invadir a alma  e fazer a vida ficar repleta de ti.
Te deixo ficar em meus dias, ficar dentro de mim,
Como se fosses pedaços vivos do que mais preciso,
Respiro a vontade de ti, me abraço com a saudade
E te sinto pulsar dentro do peito como se fosse teu,
Como se fosse nosso...o meu coração, prazeroso
Por ainda amar tanto. Não pergunto pelos amanhãs
Porque serão iguais aos ontens, que se farão de sempre,
Porque não existirá um antes nem existirá um depois,
Todos eles se farão apenas um dia de eterno amar.
Te sinto flutuar entre meus pensamentos, os mais singelos,
Os mais inocentes, os mais ternos, como fosse uma saudade 
Divina que me enche a alma de ti, e me deixa na sublime
Demência de ser todo...e apenas teu, com a doce certeza
Que você não (é) tudo que tive, mas...é tudo que sou.

José João
02/12/2.014





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...