sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Pedaços


Como remendar pedaços de sonhos rasgados e rotos,
Caídos no tempo como trapos, apenas restos de nada
Que ficam dançando nos olhos, nos prantos chorados
Em que apenas queixumes e dores se fazem lembrados?

Como juntar fragmentos de vida que lá atrás se perderam?
Que ficaram perdidos entre pedaços de solidão e passado
A se fazerem ecos perdidos dos gritos que o silêncio gritou
Quando tudo se fez tão nada que até o pensamento calou?

Como alinhavar suspiros já remendados de tristezas e dor?
Cerzir pedaços de tempo que a alma se esqueceu de viver
Costurar o que o tempo rasgou sem nada poder esquecer?

O passado se partiu em pedaços que a vida quis nomear
A alguns chamou de tristeza, uns solidão, e outros saudade
E brincando de rimar versos rimou prantos com eternidade


José João
04/01/2.013

2 comentários:

  1. Eita poeta! Inspirado, alinhavou suspiros remendados na tristeza, cerziu tempo e no final... está ai a obra... linda! Belos versos.

    ResponderExcluir
  2. Uma Pintura Este poema José João lindo !!! Juntastes Tristeza ..com ...Choro e Saudade ...tem que terminar lindo ...Um Abraço Pedro Pugliese

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...