quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Poesias inacabadas


Quantas poesias inacabadas, versos incompletos
Pedaços de poesia sem rimas, palavras soltas
Lágrimas pela metade, prantos ainda no rosto
Até uma que conta o sabor de um beijo sem gosto

Pedaços de papel, de alma, pedaços de versos
Pedaços de dores rascunhadas, rabiscadas
Algumas toda sentida, outras só começadas
Muitas esquecidas, outras até hoje choradas

Poesias incompletas, histórias mal terminadas
Talvez tenha sido medo de contar o que não fiz
Outras o pranto me impôs deixa-las inacabadas

Mesmo pela metade sentida foram verdades vividas
Mesmo com versos sem rimas e tantas palavras rotas
Eram tão verdadeiras que nunca puderam ser soltas

- Minhas poesias inacabadas foram momentos,
pedaços de vida que nunca soube contar -


José João
17/10/2.012

2 comentários:

  1. Perfeito!
    Esses pedaços do poeta, presos em papeis soltos, são a sua alma partilhada entre o sentir e o expressar.

    ResponderExcluir
  2. José João andei tomando um grande susto mas estou bem volto para dizer que continuo seu fã e amigo e que vou tentar recuperar o tempo perdido de suas tão sempre lindas palavras com estas aqui Um abraço Pedro Pugliese

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...