sábado, 2 de julho de 2016

As faces da solidão

As vezes a solidão me assusta, em outras...
Me completa. As vezes me enche de vazios
E pensamentos perdidos no nada, me deixa
Inerte entre sonhos distantes, quase mortos, 
Se torna densa, sufocante, fazendo que respirar
Se faça soluços e faz chorar ser tão fácil!
Faz que lágrimas caiam no rosto como marcas
De histórias doloridas impossíveis de esquecer.
Faz o olhar vazio, como se nada houvesse para ver,
Disforme, do tamanho do silêncio, assusta até a alma.
Outras vezes, ela vem risonha, escolhe até o lugar
Para nos contar histórias que a gente viveu,
As vezes nos permite um silêncio gostoso de sentir,
Traz, prazerosa, momentos que vivemos, sonhos...
Sonhos que nunca cansamos de sonhar,  
Até sorrisos, tímidos é certo, mas são sorrisos
Que se desenham no rosto. Lembranças chegam
Como se fossem filmes. E ela, a solidão,
Nos abraça tão ternamente, que nem parece solidão,
As vezes ela completa a gente...


José João
02/06/2.016


Um comentário:

  1. Obrigada pela maravilhosa poesia, tu falaste ao meu coração enquanto me perdia pelas veredas de meus vazios...como sinto prazer em degustar suas composições, me fazem um bem danado!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...