quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Meus sonetos

Escrevo sonetos quando minhas lágrimas
São poucas, cambem em versos curtos
Quando a saudade declama versos mudos
Quando o tempo e meu sentir se fazem surdos

Escrevo sonetos quando a dor brinca comigo
Quando finge que é de tristeza, mas é saudade
Vem sozinha, cambaleando em passos bêbados,
Se fazendo dor de chorar, mas... é só arremedo

Meus sonetos, alguns inacabados por falta de mim
Outros, por vezes, nas entrelinhas gritam tristes
Coisas que, nem sei porque, ainda em mim existe

Mas se são poucas lágrima ou se a dor é menor
Se cabem dentro de um soneto que se escreve
Ele que se faça assim, livre, solto e leve.

José João
15/11/2.017



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...