quarta-feira, 15 de março de 2017

Ainda estás aqui...em mim.

Nunca permiti que o tempo te tomasse de mim, 
Que te deixasse ir com o impiedoso esquecimento,
Cuidei para que ficasses, te fiz uma história perfeita,
Te fiz minha própria existência. Nessa minha loucura
De querer-te, respiro o perfume que deixaste 
Por onde passamos, brincamos, vivemos e amamos.
De todos eles fiz poesias que ninguém lê, são nossas,
Apenas nossas, foi tanto o amar, que me fiz egoísta,
Ninguém sabe dos versos que te fiz, só minha alma
Que, quando a saudade é muita, declama sozinha
No silêncio de uma solidão, até prazerosa, se é tua
A saudade que sinto. Te choro em lágrimas 
Que chamam teu nome, te vejo na imensidão
De horizontes que criei pra ti nos sonhos que sonho
Quando tua carência me faz rezar orações que invento
No clamor desesperado de pedir que tua ausência
Não doa tanto. Faço versos que ninguém sabe,
Guardo segredos, as vezes finjo que nem é sonho
Quando tua presença é tão forte, que te sinto
Pulsar dentro de mim como se fosses, a própria
Vida.


José João
15/03/2.017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...