quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Só eu sei de mim

Quando estiver na solidão, não me busquem,
Pode nem ser solidão, talvez seja eu dentro de mim,
Me dizendo coisas que só eu sei me dizer.
Quando meus olhos estiverem em lágrimas,
Não perguntem se é tristeza, pode ser um sorriso
Da alma contando uma saudade que só eu sei sentir.
Quando estiver em silêncio, me deixem ficar,
Talvez nem seja silêncio, seja o encantamento
De um momento que quero lembrar, reviver,
Deixar ficar dentro de mim em terna harmonia
Com a vontade de eternizar o que foi tão intenso
Que até hoje vive na alma, passou pelo tempo
Sem ranhuras, sem se fazer pedaços, completo,
Como se tivesse sido  bordado pela perfeição.
Se estiver gritando, não me escutem, quem sabe
Nem sejam mesmo gritos, sejam orações rezadas
Numa alucinante vontade de que voem por aí
Por sobre horizontes ... sentimentos, corações,
E sejam, um dia, ouvidas como um pedido
De clemência...  e quando estiver chorando,
Não chorem comigo... me deixem só.

José João
17/08/2.016



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...