sexta-feira, 8 de junho de 2018

Que mais posso fazer para ...

Quem me dera ouvisses o meu canto,
Poesias que minha alma declama aflita
Que sentiesses de mim todo o encanto
Quando teu nome ao mundo a alma grita

Não sei mais o que fazer, até já me perdi
Rezando orações que não sei como aprendi
Quem sabe se ouvisses a voz do meu pranto!
Essa dor tão doída talvez não doesse tanto.

Que mais posso fazer para ouvires minha voz?
Que mais angustia posso sentir e te contar
Para que possas entender... esse meu clamar?

Rezas, se ainda existem já não sei reza-las.
Que mais ainda pode a mim acontecer?
Que não me faça dor, faça vontade de viver!

José João
08/06/2.018

quarta-feira, 6 de junho de 2018

É melhor sentir saudade

Talvez não devesse mais chorar de saudade,
Talvez nem devesse mais sentir-me dentro dela
Quem sabe, até mesmo eu ficasse menos triste!?
Num vazio de loucura que só aos loucos existe.

Mas me chegam versos perdidos e chorosos
Cheios de lágrimas, de saudades que ainda sinto
Como se fossem pedaços de dor que insistem
Em ficar. Me fazendo que viver seja apenas chorar.

Não sei como fazer-me esquecer, até mesmo de mim,
Deixar as dores perdidas em versos que não escrevi
Como se não fossem meus, esses momentos que vivi

Mas a mim me vem aos gritos o que não sei responder
Se o tempo não mais me permitir sentir essa saudade?
Talvez fique mais triste... e nem consiga mais viver.

José João
06/06/2.018

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Hoje sou...

Não sei quem sou, as vezes, até me pergunto...
Quem sou eu? E sigo em silêncio, sem resposta,
Por caminhos, por estradas que nem eu sei
Gritando em versos as dores que já chorei

Já não me pergunto mais, calo no silêncio,
E, nas entrelinhas da vida que vivo agora,
Nas rimas perdidas, sufocadas pelo chorar
Acaricio minha alma te fazendo meu sonhar

Ora mas... se as dores que choro são minhas,
Todas minhas, me resta senti-las e chora-las,
Me enganando, dizendo: são minhas poesias

Ao ver-me agora, mistério que não sei dizer,
Já fui flor luzidia que tudo mundo queria ver
Hoje sou pétala no chão caída sem nada ser

José João
04/06/2.018


quarta-feira, 16 de maio de 2018

Porque a saudade dói tanto?

As vezes me pergunto porque a saudade dói tanto?!
Porque ela não se faz de apenas saudade?!
Tem que se fazer também dor? Sufocar a alma,
Fazer o silêncio gritar com palavras mudas
O que só a alma pode ouvir, sentir e chorar?
Fazer o tempo se arrastar lento como se assim
Fizesse a dor doer mais, fazer o soluço calar
A voz como se nada mais fosse preciso dizer,
Como se apenas chorar fosse preciso, fosse o grito
Da alma que se contorce desesperada, em convulsão
Como se viver se fizesse tão difícil?
Porque a saudade sempre traz a angustia
De não se saber onde ir, ou ficar, ou correr,
Ou chorar, gritar, sufucar-se com o vazio
Que fica dentro do peito, da alma e da gente?
As vezes nem se sabe se é saudade ou se é dor,
Se é carência ou se é a solidão, que como arestas
Afiadas sangra a alma. Ah! Se não fosse o sangue
Da alma, o pranto, o que seria de quem sente
Essa dor que chamam de  saudade?

José João
15/05/2.018


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...