terça-feira, 28 de agosto de 2012

O mar...meu pranto e...


O mar vai chorando com minhas lágrimas indo triste,
Vai na direção do horizonte, colorido e tão distante...
E o vento... toma todos os meus ais e faz uma canção
E vai com o mar, sem rumo, sem sentido... sem direção

Tua imagem se deita em meus sonhos quase esquecidos
Em transparente aparecer entre prantos, solidão e saudade
Nesse instante o coração grita alucinado, a alma desperta
Num torpor de vazios, vagas lembranças, doídas verdades

Com o mar, com a brisa, vão meus pensamentos chorando
Meu olhar se perde sem nada ver numa estrada sem fim
E eu... eu  fico como sombra que vem do nada voltando  

Tudo se perde, o mundo fica sem luz, sem cor, sem razão
O mar perde a beleza, o por-do-sol se deita sem perfume
E meu canto, que inocente se deu ao pranto, se faz queixume


José João
28/08/2.012
                                                


3 comentários:

  1. Belíssimo José João ... Meu querido você é muito bom sabe !!! me emociono a cada escrito seu !!! Amigo Parabéns !!! Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Pedro muito obrigada pelo tão inspirador comentário vc é 10. Felicidades

      Excluir
  2. Oi meu querido poeta!
    Bom beijo
    Vem pra cá também.
    Cheiros
    Eu! Leilinha

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...