segunda-feira, 7 de março de 2016

Quando é só tristeza.

Ontem não quis saber de nada, nem de pensamentos.
Fui apenas, entre os sonhos, me buscar..não sabia de mim.
Apenas ouvia a alma cobrar, entre soluços, minhas histórias
Vividas em momentos que nem lembrava mais...
Sei que o tempo se perdia entre os espaços vazios
Que insistiam em se fazer berço para a carência
Ser mais doída, tanto que nenhuma saudade chegava
Para enganar o pranto, que chorava por tristeza mesmo.
As vezes a saudade ternamente se mistura no rosto... 
Aos olhos dá lágrimas, aos lábios um sorriso, diz ela
Que é um sorriso, mas dessa vez era de tristeza que chorava.
Quase enlouquecia com o silêncio, ficava patético
Sussurrando em meus ouvidos coisas que não entendia,
Como se quisesse me deixar desperto para dor ser mais dor.
Por vezes até pensava ser a solidão aliciando minha alma
Com promessas que não se cumprem nunca... a solidão!
A solidão é tão mentirosa e imprevisível!!
As vezes, quando existe um adeus que dói pra sempre,
Até entre a multidão ela nos toma, e fica, e o silêncio,
As vezes inocente, por vergonha se esconde no tempo
Em volta da gente.

José João
07/03/2.016




3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Adooorrooo suas poesias.São intensas.Depois de admirar,pude me ver sentindo essa ausência do meu amor que nunca se foi.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo, obrigado. Muito me honra seus comentários...abraços.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...