quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Minha história de todos os dias.

Como mentem! De mim e das poesias que escrevo!
Dizem que as faço num piscar de olhos. Mentira.
Rio-me até...em gargalhadas alegres, ou tristes,
Ou chorosas, gargalhadas de momento, as vezes
Até eu me confundo se são verdadeiras ou fingidas.
Minhas poesias não nascem num piscar de olhos,
Mas de cada pulsar de um coração que chora...
Saudades, dores, perdas, angustias e até remorsos.
São gritos, ou mesmo sussuros que minha alma, 
Em lágrimas, se deixa, sem nenhum pudor, chorar
E deixar que vejam sua triste aflição por ser só.
Minhas poesias, quem sabe, escrevo com anjos
Que por piedade choram comigo, sabendo ser tanta
Essa dor que não suportaria senti-la sozinho!!
Minhas poesias, não escrevo num piscar de olhos,
A não ser que cada um deles seja uma lágrima...
Porque cada uma é um verso, é um pedaço de mim
Que sai como eco de uma tristeza que se fez...
Desde muito...minha história de...todos os dias.


José João
26/01/2.017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...