terça-feira, 13 de setembro de 2016

Um ponto no fim do verso ...

Nem sempre um ponto no fim do último verso
É o final da poesia... para o poeta. Talvez a dor maior
Não seja para ser contada, seja apenas pra ser sentida,
E o poeta cala, e no fim do última verso, um ponto,
E começa em silêncio, dentro da alma, a verdadeira
Poesia triste, a mais doída. Por vezes veem tristreza
Na poesia, mas triste, tristeza maior, pode ser
A verdade do poeta, que cala e guarda em segredo,
Que chora em fingidos sorrisos a dor que ninguém vê,
Que grita, desde a alma, uma incontida saudade
Que lhe sai, em desepero, pelos olhos, nas tantas
Lágrimas que chora como fossem pedidos de perdão...
Que ninguém ouve, nem vê... e se perdem ao tempo
Como se a dor não fosse dor, como se viver
Não fosse esse sofrer... que nem as poesias contam.
As vezes, o ponto no final dos último verso,
É apenas uma pausa de que precisa o poeta...
Dá um sorriso triste, debruça-se sobre a vida ...
E diz: Que me saibam só até aqui. e põe
Um ponto no fim do último verso, como este aqui.

José João
13/09/2.016



Um comentário:

  1. E este ponto final bem aqui, deu espacos para as reticencias dentro de mim. Poesia linda, suave como esta minha tarde fria e nublada. Chega a ter sabores, se e q a saudade tem gosto, mas aqui tudo se faz vivo e leve, as palavras brincam e nos capturam. Esse e seu encanto Jose Joao, transportar para alem de um simples, e talvez espremido, ponto final. Abracos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...