terça-feira, 14 de junho de 2016

Minha outra maneira de ...

As vezes, dentro da própria solidão...insistente...
Rio-me tanto da dor que sinto, chego a gargalhar,
A tristeza, com cara de surpresa, se esconde...
Dentro mesmo dos meus olhos, nem me importo,
Mas lá ela fica, não deixo que os olhos chorem,
E ela, acuada, angustiada, olha a solidão sem entender
E em silêncio pergunta o que há comigo! Rio-me.
Finalmente, solidão, tristeza, angustias, todas
Caladas, passivas, inertes, como se fossem nada,
Paradas em minha frente, me vendo sorrir,..
E rio-me as gargalhadas. A dor insiste em ser dor,
Retorce-se dentro dela mesma como se quisesse
Fazer-me senti-la com toda sua intensidade...
Pela saudade vinda de um adeus que ouvi.
Mas não deixo, me fecho dentro de mim...
E apenas permito que os sorrisos, os risos...
Alguns até escandalosos tenham a liberdade
De se exporem ao tempo como meu sentir...
Mas a alma aflita, já em aparente desespero
Grita: Desde que aprendeste a fingir e..
Chorar sorrindo...nuca mais chorei ...chorando.
Essa minha alma...não sabe guardar segredo.


José João
14/06/2.016




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...