quarta-feira, 29 de junho de 2016

Meus segredos...

Ah! Quantos segredos dentro de minha alma!
Segredos guardados, escondidos entre lágrimas,
Dentro de sonhos que sonhei, ou de sonhos
Que ainda vou sonhar. Segredos que até a solidão
Me ajuda guardar, que o silêncio não fala nunca.
Segredos que grito ao tempo em soluços tristes
E que ninguém pode ouvir. Mas tenho muitos...
Alguns escondo dentro de sorrisos fingidos...
Outros, inventando olhares alegres, mas perdidos
No nada, vazios, olhando o que nem a alma vê.
Ah! Se meus segredos fossem rebeldes e saíssem
Se mostrando, contando ao mundo coisas de mim!
Mas eles se fazem só meus, por vezes se mostram
Em versos, em dores doídas que ninguém sabe
Se são minhas. Outras, fingem ser mentiras
As verdades tristes que conto em sutis prantos,
Ninguém sabe se são minhas as verdades
Que as poesias contam! Ah! Esses meus segredos?
Algumas vezes se fazem ousados, e se mostram,
E brincam de não serem segredos, mas isso,
Só quando a dor é tanta que ninguém acredita
Que se possa sofrer assim, aí dizem;
É só uma poesia! São meus segredos que fazem
As poesias parecerem criança: Quase ninguém
Acredita no que uma criança diz.

José João
29/06/2.016



2 comentários:

  1. Maravilhoso! se um dia resolver contá-los, sou de todo ouvido. rsrs.. abraços, meu poeta!

    ResponderExcluir
  2. Se um dia me permitir que lhe conte, te contarei com a voz da mais terna brisa. Abraços minha doce leitora.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...