sexta-feira, 8 de abril de 2016

As vezes me sinto assim

Busco-me dentro de mim e até não sei
Se é, por acaso minha alma, um anjo errante
Perdido ao tempo ou de outro mundo caído
A fazer-se andarilho por onde nunca pisou antes

Entrega-se a poemas escritos em toscas linhas
Como fosse poeta perdido de outras eras
Quando ao amor se vergavam os corações
Como fosse este, de toda alma, uma oração

Busco nas noites encontra-lo, entende-lo
Mas parece-me que ele, absorto em um pensar,
Nada diz, se esconde, faz segredo, fica mudo

Como se estivesse em transe tão profundo
Como se estivesse perdido, assim a procurar
O que talvez tenha perdido nesse mundo.


José João
08/04/2.016





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...