domingo, 7 de fevereiro de 2016

Uma lágrima para cada saudade

Em cada amor que vivi, deixei a melhor parte de mim,
Em todos eles sonhei os melhores sonhos. Vivi.
Intensamente vivi cada um deles, me entreguei
Sem reservas, falei as palavras que queria dizer,
Disse, te amo, em verdades que a alma sentia.
Meus olhos, em olhares carinhosos, em silêncio,
Ou aos gritos da alma diziam do sentimento
Que me tomava todo. Ia muito além de mim mesmo
Para me fazer a medida certa, nem muito, nem pouco,
Dentro de corações que se faziam minhas relíquias,
As mais preciosas dadivas de minha existência.
Com cada um deles vivi momentos divinos,
Por isso essas minhas tantas saudades vivas
(muitos acham que saudade não tem plural) 
Mas as minhas, se fazem uma saudade completa
Para cada lágrima que choro, minhas lágrimas
Falam de minhas saudades, mas meu pranto!
Ah! Meu pranto! Esse me faz chorar todas as saudades
Como apenas uma. Mas o pranto é tão singular!
Prefiro lágrima por lágrima, chorar saudade 
Por saudade, pois são tantas as saudades
Que junta-las em apenas um pranto seria injusto.

José João
07/02/2.015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...