terça-feira, 20 de outubro de 2015

As vezes o tempo é tão ridículo!

Lá vai o tempo, passando por dentro de mim...
As vezes rápido - se estou feliz - outras vezes,
Cruel e monotonamente lento - se estou triste -
Mas lá vai o tempo, transformando os amanhãs
Em ontens,  histórias em lembranças, algumas
Se perdem no esquecimento, que o próprio tempo
Se encarrega de apagar como se não houvessem existido.
Mas em mim ficou uma, que se renova a cada dia
Quando muito, quando o tempo insiste, 
O mais distante que ela se faz de mim, é como
Fosse ontem e... uma saudade (dessas que doer
se faz de menos) se faz tão viva que as lágrimas,
Num doar-se a vulso, não se fazem apenas pranto,
Se fazem gritos, que a alma em desespero chora
Com meus olhos,, prazeirosamente emprestados,
Porque quero chorar também. Um instante
Eternizado dentro de mim...que ontem se fez saudade,
Que hoje se faz tristeza e que amanhã se fará lágrima.
É sempre assim, Existem momentos que fazem
Do tempo tão ridículo!!! Que até parece dor de ontem
A saudade que não passa


José João
20/10/2.015

Um comentário:

  1. As vezes a saudade machuca mas, temos um conselheiro insuperável: O tempo.
    Linda a sua poesia!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...