sexta-feira, 31 de julho de 2015

Estranho...esse estranho amor

Louco amor esse, me desperta na madrugada
Me ensinando poesias que nem sei escrever
Me faz que seja dor o que tanto choro e minto
Me faz que seja riso, chorar essa dor que sinto

Estranho amor que me marca a vida e a alma
Me faz ser sonhos que nunca ninguém sonhou
Me toma todo de mim em perdidos devaneios
Que  fazem sombrios, os medos e meus anseios

Em perdidas razões que se fizeram descabidas
Como se tudo fosse nada mais que nada ser
Como se só a alma visse o que não se pode ver

Estanho amor que insiste em não ser adeus
Que  perdido no tempo nem sabe se aconteceu
E entre tantos esquecidos o mais perdido sou eu


José João
31/07/2.015






Um comentário:

  1. Boa noite, José João.
    O amor quando invade a nossa alma, toma conta do nosso primeiro pensamento ao abrir dos olhos, revira tudo dentro de nós e em um furacão nos deixa, é terrivelmente complicado entender, se bem que, amor, sentimos e só.
    Amei os seus versos e eu me vi neles, sem sombra de dúvidas.
    Parabéns pela sensibilidade em poetizar o amor que muitas vezes nos deixa em completa confusão.
    Tenha um fim de semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...