terça-feira, 7 de abril de 2015

Será que essa dor é só minha?!!

Não só os sonhos se fizeram restos. Eu também...
Me fiz resto de mim quando esperanças e ilusões
Se perderam entre os dias, se fizeram vazias,
Indo a lugar nenhum porque os sonhos estavam mortos.
Me fiz silêncio, perdido nos acordes de uma canção
Que a alma balbuciava sem ter voz para cantar,
Os sorrisos se perderam na dureza de tristezas vivas,
As lágrimas se faziam farpas, expulsas pelos olhos
Ora como queixumes, ora como blasfêmias
Que as palavras não ousavam ou não podiam dizer
Para que a alma não pecasse ainda mais, e inocente,
Pudesse em solenes orações rezadas, pedir clemência
Pela tanta dor que uma eterna carência lhe fazia chorar.
As perdas se fizeram fantasmas, os tantos adeus
Se fizeram rosários de perdidas contas, sem conferir
Os ais que cada saudade deixou, e cada lágrima
Caída, correndo no rosto, era um reza nova,
Que em desespero meus olhos choravam 
Como se dissessem para a alma: Estou gritando
...espera... talvez um dia ouçam nossa prece.

José João
07/04/2.015



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...