segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Tua saudade vale muito mais.

Não. Não sei quantos sonhos ainda vou sonhar...
Ou se ainda, pelo menos, vou sonhar. Não sei.
Mas tenho meus sonhos antigos, meus momentos
Que nas horas de solidão vou busca-los, lá atrás,
Quando a vida me fazia viver sonhos verdadeiros,
Tenho ainda recordações que o tempo guardou pra mim,
Deixou guardado dentro de minha alma como relíquias,
Preciosos guardados que ficaram escondidos
Do esquecimento e me vêm quando a carência grita
No vazio de mim, a tua ausência, a falta que fazes.
Não me permites que tenha sonhos novos, 
Tudo dentro de mim me faz sentir que estás aqui,
Dentro de minha alma, como se o tempo tivesse parado,
Para que te eternizasses por toda essa minha existência.
E assim vou eu, sem me importar com outros sonhos.
Tenho medo de serem menos que a saudade que sinto,
Tenho medo que outros sonhos te levem de mim,
E um dia não estejas para povoar minha solidão.

José João
02/11/2.014







Um comentário:

  1. As lembranças mantidas vivas como relíquias sagradas.
    Um poema cheio de sentimentos que tocam o coração do leitor.

    abraços/
    Rosa Mattos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...