quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Parece que o tempo não passou

Hoje, entre tristezas e saudade te busquei,
Em pensamentos, em sonhos, nas lembranças
Que não se apagarão nunca, ficarão sempre
Dentro de mim como se fossem preciso, para viver,
Te-las sempre guardadas na alma que te chama aos gritos.
Te busquei nos meus momentos mais intensos,
E uma saudade dolorida, cheia de lágrimas e carências
Me tomou o corpo em convulsões, a alma em prantos
E só teu nome saía em murmúrios reticentes,
Como se fosse pecado grita-lo ao mundo.
Caminhei pelas estradas que um dia foram nossas,
Passo  a passo na direção de um horizonte que não existe mais,
Desde que foste perdeu a cor, as nuvens ficaram cinzas,
Como se quisessem chorar ou escondendo uma dor,
Que, por piedade, não queriam mais que eu sentisse.
O vento cantava em meus ouvidos canções tristes,
Cheias de melancolia, de notas incompletas,
De acordes que pareciam lágrimas a derramarem-se
Ao mundo a tua procura, assim como meus olhos,
Que te buscavam em vão por entre a saudade e ...
A solidão que tua ausência deixou.


José João
29/10/2.014






Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...