quarta-feira, 3 de setembro de 2014

A dor da saudade que sinto

Ainda hoje guardo nossos segredos, todos eles,
Vou busca-los lá dentro da alma, quando a saudade
Chega mais forte me convidando pra chorar...
Aí, meu pensamento vai correndo busca-los...
E eles vêm como se fossem orações que se reza
Em silêncio, sem que ninguém ouça, como murmurio
Da alma que se deita aos prantos, como se cada
Lágrima fosse um reza, uma ladainha, pedindo
Clemência por ser tanta a dor da solidão e angustia.
Nossos segredos se fazem pedaços de mim, da vida,
Preenchem meus sonhos, sonhos que agora impossíveis
Só são sonhados como esperança para acalentar
Minha pobre e carente alma, que solitária, assim como eu,
Se senta no vazio do tempo chorando uma saudade
Que não passa e te trás sempre entre meus dias tristes,
Cheios da vontade de ti, e a dor por esse desejo
Impossível se faz tanta, que nos olhos, as lágrimas
Secaram. E por não verem pensam que estou vazio...
Ah! Se vissem os olhos de minha alma, coitada,
Tão vermelhos que parecem um por-do-sol chorando
Por mim a dor da saudade que sinto.


José João
03/09/2.014



Um comentário:

  1. Só mesmo os poetas para transformsrem a dor da saudade em belas e sentidas poesias. Muito tocante caro poeta. ;))

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...