segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Loucura... essa minha carência!

Loucura?! Talvez. Mas por vezes as lembranças
Me vêm tão vivas, que parecem de ontem,
Coisas que nunca fiz. Nem sequer sonhei...
Musicas que nunca ouvi, acordes desconhecidos
De melodias cantadas pela brisa, em momentos,
Que, eu sei, nunca vivi. Não sei como me chegam...
Talvez trazidas por uma carência que se faz tanto
Como se fosse a vida me convidando pra viver,
E ela mesma me traz, de saudades que nunca senti,
Fragmentos de momentos que ainda podem acontecer.
Lembranças perdidas desde quando nunca as tive...
Porque os momentos não existiram... mas quem sabe,
Talvez seja minha alma em louco desejo de ser...
Poeta e poesia, se escrever em versos e ser poema
Amar como poeta e ser amada como poesia...
Dizer: Te amo... e ouvir... também te amo...
Coisa que ela faz tanto, grita em desespero, mas...
Nunca mais ouviu...

José João
18/08/2.014

Um comentário:

  1. Cara tu escreves bem, mas será que és assim ou é uma fantasia das palavras???

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...