quarta-feira, 23 de julho de 2014

Talvez por ter te amado tanto

Não sei onde errei. Não sei. Ainda hoje o tempo 
Não me diz. Te falei com as palavras, com os olhos...
Esses então... quando te viam... gritavam risonhos
O que a alma lhes mandava dizer e eles diziam,
Se enchiam de brilho, e sorridentes sussurravam: Te amo.
Meu coração ficava repleto de ti, e ainda hoje, 
Apesar do tanto tempo, ainda pulsa confuso, sem saber
Se ainda diz: Te amo, ou se pulsa chorando essa saudade tua.
Te amei tanto que te rezei como oração...ah! como te amei!
Te amei como amam os anjos, que sabem calar na hora
Que se quer silêncio, sabem falar na hora que se quer ouvir,
Quiz ser pra ti a medida completa, nem ser muito...
Nem ser pouco, ser apenas o que querias que eu fosse.
Busquei meus sonhos, todos eles, e os dei a ti, sem reservas,
Fiz deles um história nossa, mas...cheia de ti.
Fiz dos teus momentos os meus momentos, te vivia
Como se fosse tu...minha própria vida. Como te amei!!
Não sei onde errei... mas desde aquele adeus...
Meu Deus! Tão dolorido que até hoje a alma chora...
Nunca mais pude me sentir, ou ser eu... outra vez.


José João
23/07/2.014


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...