terça-feira, 15 de julho de 2014

Queria escrever uma poesia de amor

Queria falar de amor, mas minha voz...minha voz
Se faz prantos chorados em soluços soltos,
Vindos da alma cheia de vazios e angustias vivas.
Queria escrever versos de amor, mas minhas mãos
Tremem num angustiante chorar, e em convulsões
Se entrelaçam, se fazem de apenas uma
Para em caricias, afagarem os olhos que choram,
Se consomem no derramar dos prantos,
Que como fontes, jorram pelo rosto que se faz de leito,
Sem margens, para que possam correr livres
E gritarem ao mundo esta tanta dor que se faz viva
E cativa de mim desde aquele adeus que até agora
Ouço em todos os momentos como grito do tempo.
Queria gritar, ao mundo até o infinito, coisas do amor,
Com palavras coloridas, alegres, risonhas, mas a voz...
Se perde desesperada dentro de um silêncio que cala
Até a alma que chora silenciosa uma oração
Como se fosse minha poesia de... amor


José João
15/07/2.014


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...