quinta-feira, 3 de abril de 2014

Flor, Bela poesia triste.

Fica comigo, deita-te em minha alma, mas se fores,
Leva-me dentro de ti, como te deixo dentro de mim,
O teu espaço terno, cheio dos meus tantos-te-querer
Refazendo meus dias nos sonhos que deixamos ficar.
Beija-me com o gosto da primeira vez, o primeiro beijo,
E leva-o contigo que o gosto de teus lábios guardarei,
Lá dentro do melhor pedaço de mim, como se fosse
A mais perfeita troca da beleza de nossas almas,

Espera amor, deixa que o tempo se esgote lentamente,
Saboreia docemente essa minha vontade de ser tua,
Porque a vida, amor, não deixa repetir esses momentos,
A vida é como se fosse um sonho e acordamos sempre.
Na verdade, acordamos sem sabermos onde estamos
Canta, amor, os hinos que só os amantes sabem cantar
Assim me fazes Flor, Bela poesia viva... imortal


José João
03/04/2.014

2 comentários:

  1. Meu querido amigo

    Uma linda homenagem à poetisa que eternizou o amor. Adoro Florbela.
    Deixo um poema que escrevi pelo aniversário da sua morte.

    Sobre um leito de flores deitada...nos braços da paz adormecida
    Como uma pena tranquila voou...envolta em nuvens de alvorada
    Etérea imagem vestindo os versos tristes com que perfumou a vida
    De mágoas vestiu os sonhos que sepultou na sua planície dourada

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...