quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Tudo traz você pra mim


As estrelas ficam brincando de imitar o brilho
De teus olhos. As flores...o teu perfume,
A brisa fica recitando versos ao tempo com tua voz.
A saudade grita, lá dentro da alma, o teu nome.
E um desespero angustiante me toma todo...
Tua ausência é meu martírio, é meu calvário.
Tua ausência se fez um espaço onde a vida me colocou,
Sufocante, amargo, com o cruel gosto de solidão.
Ah! Se tudo não fosse tua lembrança!
Até minhas lágrimas, alvoroçadas, voam ao mundo,
Se minha alma, carente de ti, sussurra teu nome,
Correm em meu rosto, procuram em meus lábios
O gosto de teu beijo, não encontram mais...então 
Desesperadas, dementes suicidas se atiram ao chão,
Dizendo que não basta apenas chorar tua saudade.
Não sei como serão os amanhãs, como serão vividos.
Os sonhos ficaram fragmentos, pedaços perdidos
De mim, mas tua imagem, imorredoura, divina,
Fica brincando comigo, povoando meu pensamento
Como se para viver, nada mais fosse preciso.


José João
01/01/2.014






2 comentários:

  1. "Lágrimas suicidas..." Só tu mesmo João e mesmo assim ficou lindo. Estou renovando contrato por mais 12 meses para vir aqui, que é encher os olhos e a alma com a leitura de poesias tão belas e criativas. Bjus poeta e mais uma vez, feliz ano novo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...