terça-feira, 24 de dezembro de 2013

As companhias para minha solidão

Não vou pedir amor, ficar mendigo de migalhas.
Estender as mãos pedindo restos. Não, não faço.
Não vou mendigar um pedaço de olhar perdido,
Que nem foi pra mim, nem vou pedir restos
De palavras que ficaram perdidas, soltas no tempo,
Sem que  ninguém quisesse ouvir. Prefiro estar só.
Tenho minhas lágrimas que, carinhosamente,
Afagam meu rosto nos momentos mais tristes,
Minhas mãos que acariciam minha fronte,
Quando meus pensamentos se vestem de loucura,
Minha voz, mesmo reticente, cheia de soluços,
Sussurra canções que o tempo me traz e me perco
A ouvi-las com a alma, cheia de encantamento,
E meus olhos! Mesmo lacrimejantes, indo buscar
Sonhos que nunca sonhei, indo buscar imagens
Que a esperança pinta pra mim em tons de verde.
E finalmente uma saudade, mesmo de quem não sei,
Mas que se veste de senhora, elegante, vestido longo,
Branco, esvoaçando ao vento, cabelos brincando
De dançar com a brisa, sorrindo como se dissesse:
Te amo. Assim...não vou pedir migalhas...
Mesmo estando só...mas não tão sozinho.

José João
24/12/2.013



Um comentário:

  1. Muito lindo! Realmente não é amoroso com nós mesmos mendigar amor... Ele deve vir espontaneamente.
    Beijos querido amigo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...