domingo, 13 de outubro de 2013

O silêncio que ficou dentro de mim


Se não houvesse o silêncio talvez eu não sofresse tanto,
É nele que a solidão se faz mais forte, entra em minha alma
E se deixa ficar no vazio silencioso de dentro de mim. 
É no silêncio que o pensamento voa perdido no nada
Buscando as horas choradas pelas dores sentidas, vividas
Lá, bem distante, onde só ele sabe onde está,
E vai buscar, como se fosse um ontem que ainda não passou,
Que ainda não se fez passado, embora tenha sido distante,
Tanto que até a saudade nem lembrava mais...
É o silêncio que, nas noites, faz as horas preguiçosas,
Lentas, passando sem querer passar. É o silêncio.
É ele que me enlouquece,  me toma os sentidos,
Me enche os olhos de lágrimas, me deixa o olhar demente
Correndo na noite escura sem saber o que encontrar.
O silêncio! Um mórbido grito do vazio, de um denso vazio
Que ficou dentro de mim, apenas porque um adeus quis assim.
Mas o pior silêncio não é aquele que escuto no meio da multidão
É aquele que como vida  se faz vida dentro de mim


José João
13/10/2.013


2 comentários:

  1. Ah, eu acho lindo o silêncio!... Mas tua prosa poética também é. Cada um sente o silêncio à sua maneira. Boa semana!

    ResponderExcluir
  2. É no silêncio que nós lembramos da dor que se vive... Amo o seu cantinho! Me sinto bem de passar por aqui! :)
    beijos,
    http://aspoderosas1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...