sábado, 27 de julho de 2013

Tão distante e tão dentro de mim.

Lá vem a noite, chorosa, cruel e triste, trazendo saudades,
Vem como um lamento pintado no rosto do tempo,
Se arrastando nas horas para mais lenta passar,
Vem com seus passos bêbados, cheia de fantasmas
Que se fizeram vivos dentro da dor de cada amante
Que choram suas perdas e as ilusões que morreram
Quando as lágrimas ouviram os adeus que não queriam chorar,
Eu? Não tenho fantasmas, mas tenho minha dor para chorar,
Tenho minha saudade que ela traz  como lembrança viva
Dos momentos que a vida era muito mais que tudo,
Muito mais que qualquer sonho, uma verdade divina
Que era vivida entre entregas de corpo, alma e coração.
Com a noite me chegam  os pensamentos mais distantes,
E se confundem com os de agora, por que tudo fala de você,
Parece magia,  mas a noite me traz teu meigo perfume
A vestir-me de ternura, a vestir-me de ti, a me fazer,
Entre suspiros e lágrimas, chamar em vão o teu nome,
Me iludir que estás perto, bem aqui, em minha frente,
Mas vem a verdade dizer que estás muito longe,
Muito além, embora estejas ainda dentro de mim
São esses milagres da vida, da saudade e do amor
Tão distante e ainda tão dentro de mim!!


José João
27/07/2.013

3 comentários:

  1. Sei o que é isso poeta... Lindo teu poema e me fez lembrar momentos tão lindos... Um bju.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde

    Lindo poetar... adorei ler

    Um Domingo muito feliz

    Deixo um abraço
    *****************************
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Meu amigo

    É na noite que a nostalgia de momentos passados se torna mais viva e presente.
    Um poema nostálgico mas muito belo.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...