terça-feira, 26 de março de 2013

Foi o amor

Foi o amor, sim, que me deixou tantas cicatrizes na alma,
Me deu tantos sonhos e de repente me deixou sem nenhum
Me deu sorrisos, lembranças, momentos de infinita beleza
Agora me arrasto entre sombras, dores e essa eterna tristeza

O amor se fez em mim, sonhos coloridos ao fazer-se luz
Mostrou horizontes pintados de desejos, de fulgor ardente
A queimar-me a carne numa profusão de tantas vontades
Que até breves momentos vividos se faziam de eternidade

Me fez flutuar, leve, na ansiedade dos anseios incontidos
A buscar-te dentro de mim onde, confortável te escondias
A procurar-me quando te fazias de todos os meus sentidos

Foi esse amor que me deu os momentos que nunca esqueci,
Foi o amor que me fez viver a vida entre prazer e encanto
Mas agora... é ele que me faz derramar todo esse pranto


José João
26/03/2.013

2 comentários:

  1. É poeta, o amor deveria ser eterno, mas não é. Um dia, tudo acaba e cada um segue seu caminho, mas as lembranças, essas sim ficam em nós instaladas, gravadas, tatuadas na nossa memória e no nosso coração, e bem à vontade, se fazem se lembrar. Lindo, lindo! Bjinhos
    => Gritos da alma
    => Meus contos
    => Só quadras

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...