sábado, 9 de fevereiro de 2013

Amor, esse eterno amor

O amor é eterno e se completa com a saudade
Há sempre um adeus, mesmo que não se queira
Mas para se fazer eternidade o amor precisa,
Que a saudade, após o adeus, se faça viva

O adeus, apesar da dor,  não é o fim de um amor
É apenas outra forma de sentir, outra forma de amar
É fazer a alma perceber uma outra maneira de viver
Saber ir buscar os sonhos e deles nunca se perder

O amor é eterno dentro de cada coração que ama
Até os momentos se confundem se fazem de sempre,
E a dor do adeus, devagar, transforma a alma da gente

Nasce nela uma ternura ... outra maneira de pensar
Até nos surpreende quando o lembrar nos faz sorrir
Aí nos invade uma saudade até ... gostosa de sentir


José João

09/02/2.013



7 comentários:

  1. As vezes, por motivos vários, não podemos estar perto de pessoas que amamos... e noutras vezes, a vida nos impõe esta separação. Mas continuamos amando essas pessoas através de nossa saudade, que muitas vezes, apesar de doída, é gostosa de ser. Que lindo soneto poeta, repleto de saudade, mas daquela saudade boa. Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo: "apesar de doída, é gostosa de sentir."

      Excluir
  2. Quando esse amor é verdadeiro ficará para sempre dentro de nós, será eterno!

    Beijinhos

    Ana

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto, da saudade, além de companheira, inspira belíssimos poemas...como este seu, José João!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Ah! A saudade, só existe no idioma de quem ama ou já amou.
    Lindo poema!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Olá!Boa noite!
    José João
    omo é bom sentir saudades…. E nada torna mais presente o que está ausente do que sentir saudade. É a prova incontestável de tudo que vivemos e ficou impresso em nossa alma.
    Belo feriadão!
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Obrigado a todos que me honraram com seus comentários. Beijos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...