quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Nós e o tempo



As vezes o pensamento traz saudade do que não fizemos
E o tempo passa rindo, ironizando e não se dando mais
Então uma angustia, tão grande quanto a vontade de voltar
Comprime o peito, o tempo indo, nos leva sem poder parar.

Assim os vazios que ficaram entre os sonhos, culpa nossa
Se fazem de momentos perdidos... esquecidos de viver
Aqueles momentos que sempre deixamos pra depois
Como se em nossas mãos estivesse todo nosso merecer

Cabisbaixos, confusos, e o tempo rindo as gargalhadas
Os horizontes dos amanhãs  a se fazerem mais distantes
E, estranhamente, a se fazerem mais curtas as estradas

Parece agora, por ironia, o tempo corre mais depressa
A passos largos que já não nos permite acompanhar
Fazendo do que não se viveu essa  vontade de chorar


José João
16/01/2.013





Um comentário:

  1. Jaum, boa noite!

    Linda reflexão sobre o poder do tempo sobre as nossas vidas. Somos tão pequeninos diante deste gigante não é? Sabe de uma coisa? Não é sempre que me deparo com um poema tão belo, profundo, tocante como este. Tu és um poeta maior. Sabe por quê? Porque consegues ir a lugares pequenos, escondidos, abandonados e lá te estabeleces.
    Parabéns!
    Abraço poético.
    Alice.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...