sábado, 15 de dezembro de 2012

Tudo passa


O tempo brincando de ficar no mesmo lugar que nós dois
Como se a vida quisesse fazer nossos momentos eternos.
Nosso espaço, um mundo de sonhos, de beleza infinda
Como nunca, em nenhum tempo, havia existido ainda

Nossos corações pulsavam como apenas um coração
Na alegria incontida de um gritar risonho, eloquente
Como se tudo, em volta, fosse silêncio e só nós dois
A ouvir da alma o grito de uma vontade tão ardente

O tempo parava como se fosse pecado ir em frente
Ficava olhando nós dois e até se sentindo carente
Fazia um olhar de bondade se deixando pra gente

Cada amanhã se fazia de eterno, de sempre, de mais...
Mas tudo, não sei porque, um dia passa, segue e vai
Como se fosse preciso, como se amar fosse demais


José João
15/12/2.011







2 comentários:

  1. Jaum,
    Teu poema é lindo, construção perfeita.
    É , tudo segue e vai... É preciso.
    Sobre amar comparo o ato ao mar: tu olhas e dizes, como é grande, uma imensidão, mas olha, não existe mar pequeno não!
    Alice.

    ResponderExcluir
  2. José joão Que lindo poema ..muito tocante me emociono muito ...Você é realmente um mago . " como se o tempo parasse e pecado fosse seguir" Perfeito ...DEMAISSSSSS um abraço Pedro Pugliese

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...