sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O tempo traz de volta


O tempo, desde há muito, rumina histórias
Mais ainda as tristes, para treze-las de volta,
Aquelas todas que fazem o pranto ser mais vivo,
Saltar dos olhos como submisso escravo cativo

As dores que o tempo rumina e voltam sempre
Se fazem angustias, guardadas dentro da gente
Machucando, fazendo sofrer, sufocando a alma
Fazendo dela apenas uma triste sombra demente

Ah! O tempo! Sempre indo mas sem nunca passar
Deixando saudades, lembranças, sonhos perdidos
Que ficam dentro da gente como momentos vividos

Tudo se faz vazio, como se os sonhos esquecidos
Nunca tivessem, em tempo algum, sido sonhado,
Não fosse o tempo mansamente te-los ruminado.


José João
28/12/2.012










5 comentários:

  1. O tempo é nosso amigo, ele guarda nossas lembranças, boa e ruins, alegres e tristes, de dor e de felicidade... porém nós é que insistimos em ir lá, em suas gavetas, revirar coisas antigas. Gracioso soneto poeta.

    ResponderExcluir
  2. MUITO BERLO,JOSÉ.

    UM POUCO TRISTE,PORÉM BONITO DEMAIS.

    O TEMPO CURA FERIDAS TB,AMIGO.E BOAS LEMBRANÇAS EXISTEM SEMPRE.


    FELIZ 2013!

    ABRAÇOS


    DONETZKA

    ResponderExcluir
  3. Meu querido Amigo Seu fã numero um aqui esta para desejar que toda esta beleza de sentimentos e doçura das tuas palavras ....Multipliquem-se infinitamente 2013 ...És muito especial para mim um feliz 2013 a te a Nádia e familiares Um grande e afetuoso abraço Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  4. Belo contexto, bela construção!

    Felicitações...

    John L. S.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...