segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Milagre



Milagres,  milagres existem e se fazem ficar para sempre
Os milagres contam histórias da vida, de amores, da alma
Se fazem belos, se fazem tristes, se fazem encantos, orações
Se fazem melodias, se fazem ternura morando nos corações

Uma lágrima caindo no rosto contando um adeus, é milagre
Um adeus voando ao tempo dito no silêncio de um momento,
Se fazendo um grito ecoando na alma como a fazer-se vida
Deixando saudades, deixando essas tantas dores tão doídas

É um milagre. É um milagre buscar sonhos que eram perdidos,
Buscar num passado distante, pedaços, fragmentos deixados
Para trás, restos de desejos que um dia se fizeram proibidos

Viver como eu vivo é um milagre, viver sozinho assim comigo
Por ter amado tanto, ter da própria existência se esquecido
Milagre, mas o meu maior milagre... é viver sem estar contigo


José João
10/12/2.012





5 comentários:

  1. Que maravilha,amigo José João!

    Como é bom ter alguém tão sensível assim no meu grupo.

    Realmente uma lágrima pode dizer tantas coisas e vc as disse com maestria.

    Seu blog me encanta e sempre estará nos meus favoritos.

    Parabéns!

    Ótima semana e PAZ PROFUNDA.

    Abraços

    Donetzka

    ResponderExcluir
  2. Olha JOSÉ jOÃO,

    mandou muito bem e este final realmente, ficou mais bonito do que os mais bonitos gran finales do Cirque du Soleil.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  3. O final realmente ficou profundo... pois é milagre alguém viver sem a pessoa que tanto ama.

    ResponderExcluir
  4. OLá!
    Há poemas que me trazem angústia, dor e tristeza. Ou tudo junto. Esse causou-me também certa surpresa no último verso, apesar de que, bem sabemos que só existe milagre quando esgotam-se todas as explicações e possibilidades humanas.
    Forte abraço.
    Alice.

    ResponderExcluir
  5. É José João Faço parte deste milagre que fechas o seu poema muito lindo um abraço e de volta Pedro Pugliese

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...