sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Tu, única entre tantas.


Tu, a quem procuro por cada rosto que passo.
Pequenas marcas apenas parecidas até encontro
Um sinal que tinhas, que me mostravas,  até vi
Mas o rosto dela tão diferente que nada senti

Tu, a quem as manhãs sorriam dando bom dia
Para quem as flores se abriam sorrindo perfumes
Balançando alegres nos galhos para te fazer sorrir
Tu, única entre tantas, te buscando foi que percebi

Em uma, um fio de cabelo lembrou o teu, mas logo,
Num sutil sussurro, me disse o vento quando chegou:
Vê. Não balança como o dela, teu olhar te enganou

Em outra, entre feliz e surpreso encontrei teu sorriso
Naqueles lábios haveria de ter o sabor de teu beijo
Mas o coração diz: Te enlouqueceu este teu desejo!


José João
01/10/2.012













Um comentário:

  1. Também belo e verdadeiro amigo não da recriar o AMOR QUE SE SENTE POR Alguém em outra pessoa Um grande abraço amigo Pedro

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...