quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Seria um amor perfeito


Ama-me, pedi-lhe um dia, não com esse amor
Que todos sentem. Mas com um amor terno,
Aquele amor que faz a alma chegar perto do céu
A desmanchar-se em sonhos que vão indo ao léu

Ama-me, não precisa que seja um amor eterno
Não precisa ser aquele amor que o tempo cria,
Nem precisa ser infinito, assim seria monótono
Basta ser perfeito e que se renove a cada dia

Ama-me. Ama-me com a loucura dos aflitos
Ama-me com a ternura da brisa da primavera
Faz desse amor mensagem dos salmos benditos

Querida, ainda é tão pouco perto do que sinto,
Mas amor como o meu não pode ser entendido
Tanta perfeição, aqui, não teria nenhum sentido.


José João
28/11/2.012










3 comentários:

  1. Maravilhoso José João ...Lindo demais ...E isso faz sim sentido um grande abraço Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  2. Ah João como não dizer que este sonete é sublime, divino, escandalosamente maravilhoso! Pode dizer, que estou exagerando.... mas não estou e além do mais fã... é assim! Bjus meu querido amado poeta

    ResponderExcluir
  3. JOÃO.BELO COMO TODOS.


    BASTA AMAR E MUITO! NÃO IMPORTA COMO!


    VC E A NÁDIA SÃO MEUS POETAS FAVORITOS.


    BEIJOS COM GOSTO DE CARINHO E PARABÉNS!


    DONETZKA

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...