terça-feira, 4 de setembro de 2012

Talvez seja apenas solidão


As vezes, como estive ontem, na madrugada,
Não estou em lugar nenhum.
Talvez estivesse  num espaço distante,
No tempo do nada, ou talvez...
Não me pusesse nem dentro
Dos meus próprios pensamentos
Que insistem em pensar apenas em saudade.
Não estou só, apenas meu lugar era único para mim.
Sorria, como se meu sorriso espantasse
A dor, mas uma dor que eu não sentia,
Que não doía, que talvez, não fosse nem mesmo dor.
As vezes estou assim, sozinho dentro de mim
Como seu eu fosse minha própria angustia...
Ou... como se esta fosse eu mesmo
Por não ser pensamento de  ninguém.
As vezes me sinto assim. Vazio, vagando no silêncio
Profundo dos meus pensamentos que não sei
Nem o que pensam, como se fossem fora de mim,
Ou talvez tão dentro de mim...
Desse meu eu desconhecido, que até penso ser dor
O que não sei definir, ou apenas uma ilusão
Se é momento de sorrir, isto por não saber
Quando é o momento de chorar,
E assim, essa dor, que não sei se realmente é dor,
Me diz, que na verdade, entre tantos talvez...
O que sinto seja apenas solidão.


José João
04/09/2.012



2 comentários:

  1. MUITO MUITO LINDO MEU AMIGO QUERIDO ...SUAS PALAVRAS TOCAM DE VERDADE ...MUITO BOM MUITO BELO Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  2. Nem sei mais o que dizer de seus poemas! Eles parecem refletir o que escondo a sete chaves! Um muito obrigada não seria o suficiente, mais fica aqui.

    Mara 16/11/12

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...