sexta-feira, 14 de setembro de 2012

A poesia e o poeta


A poesia voa na liberdade dos sonhos do poeta
Voa em horizontes distantes coloridos de saudade
Traz o gosto de beijos que ficaram guardados na alma
Pedaços de versos que falavam de amor, de eternidade

Os sonhos do poeta se fazem caminhos para a poesia
Ir buscar em qualquer pedacinho do céu uma história
Que nunca foi contada ou escrita, que ninguém sabe
Mas tão bonita que só no coração do poeta ela cabe

Lágrimas, prantos, solidão, angustia tudo se faz verso,
Na liberdade dos sonhos o poeta inventa uma poesia
Verdadeira, cheia de fingimentos mentirosos e heresias

As poesias se fazem caminhos para os sonhos do poeta
Se fazem de rastros, se fazem de vida, de rimas corretas
As poesias, para os poetas, dobram curvas em linhas retas.


José João
14/09/2.012




Um comentário:

  1. José João meu querido amigo !!!É bem isso mesmo !!! Com muito propriedade e altives descreves a poesia ... uma porta muitas vezes imensa ...em outras muito estreita para os nossos sonhos ...Parabéns Pedro Pugliese

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...