segunda-feira, 11 de junho de 2012

Nada nos separa


Não quero mais chorar tua saudade, mas tua ausência,
Como se fosse dor na alma, me marca a vida e o tempo.
Fico entre lágrimas e angustia, e entre elas, tua imagem,
A lembrar que nos doamos por tão poucos momentos

O mar me molha os pés com as lágrimas que te entrego
Sempre quando, com ele, ao por-do-sol, te procuramos,
Te grito o nome na doce brisa que com as ondas vai
Te buscamos, como busco a vida, e não te encontramos

Amor, amor. Onde foste? Em que horizonte estás agora?
Que caminhos te levaram sem que rastros tenham ficado?
Que vento te levou a esmo como se fosses nuvem sem rota
Pássaro sem rumo, horizonte fechado perdido e sem porta?

Vou estar aqui, sempre, entre a solidão e essa tua saudade,
Entre minhas lágrimas e tua imagem, que em mim toma vida
Como se pudesse te tocar, te sentir, ouvir teus pensamentos
Estou aqui te amando, ainda que no peito essa dor incontida.


José João






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...