segunda-feira, 11 de junho de 2012

A dor que pensava morta.



Até hoje minha alma chora
toda a tristeza que tem pra chorar
Te procurando entre horizontes e mares
nas noites de lua ou sem luar
Te foste ao tempo num mundo perdido
Sem nada dizer, te foste...
Dizendo que um dia irias voltar
Que eu não devia chorar nem sofrer.
Hoje te vejo em sonhos distantes
Nunca aprendi a te esquecer.
Amor, porquê te foste? Porquê?
Eu te seria aquele amante que só sabe amar.
Seria nos dias frios teu sol cativo,
Nas tuas noites, teu luar passivo
Te trazendo estrelas te brilhando no olhar
Trazendo histórias de outros amores
De lugares distantes só pra te contar.
Eu seria aquele amante
Que mesmo distante te faria sorrir
Te fazendo sonhar outros mundos
Onde só um casal pudesse existir
Eu e você. Tu serias rainha
Eu seria teu servo e senhor.
Mas foram-se os sonhos no tempo,
Perdidos sem rumo, sem rota.
Ficaram angustia e saudade.
Quantas vezes reacende forte
A dor que se pensava morta?!


José João






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...