terça-feira, 1 de maio de 2012

Meus pedaços


O tempo me partiu em tanto eus
Que meus pedaços se perderam por aí
Flutuando em espaços que não pensei
Com pedaços de sonhos que sonhei

Com tantos pedaços como fica a saudade
A amiga que carinhosamente cativei
Também se parte em pedaços de mim mesmo
Chorando a mesma dor que já chorei

Como pode uma  dor ser assim tão infinita
Numa alma que em pedaços também se fez
Para melhor procurar o que um dia
Cruel destino sem nenhuma razão desfez

Mas quem sabe um dia alguém atento
Vendo meus pedaços chorando aflitos
Junte-os com carinho e talvez assim
Os coloquem outra vez dentro de mim

Cicatrizados jamais eu sei voltarão
E quantas cicatrizes haverei de lamentar
Quantos balsamos haverei de em mim passar
Talvez só um, aquele que se chama: Amar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...