segunda-feira, 30 de abril de 2012

Saudade amiga


Oh! Saudade aflita, amiga que chegaste,
Porque tanto assim em mim hoje tu custaste?
Já é quase aurora e o sol à noite desperta
Com a primeira estrela já estava a porta aberta

Quantos sonhos tua falta me fez não sonhar!
E assim nem vida, ao pranto, eu pude dar
Saíram preguiçosos com não querendo falar
Pela tua falta não conseguiram se alegrar

Mas espera, saudade, em mim ainda resta
Um pranto escondido que paciente ti esperou
Também tristonho se escondeu dentro de mim
E só agora, ao ouvir a tua voz, ele despertou

Deixa que me prepare, não tenhas pressa
Espera que as lembranças chamem o meu pensar
Espera que o tempo me traga o meu passado...
Agora, saudade, me abraça e deixa o pranto chorar

Ah! Saudade amiga, querida, mas que tristeza!!
Como pôde o destino, sem razão, de mim toma-la?
Se havia de sonhar um sonho verdadeiro eu sonhei
Ninguém, sei com certeza, jamais amou como eu amei.


José João



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...