sábado, 10 de março de 2012

Teu perfume





Dá-me , oh flor um beijo apenas que seja
Pra que dela, os lábios, eu me lembre
Como tu, rubros, macios e perfumados
Ou como orvalho pela madrugada chorado


Deixa que te adore em êxtase infinito
Embora de mim ouças prantos e queixumes
E tão bem me fazes dela me lembrar
Que direi igual ao dela o teu perfume


Se de tão triste em tuas pétalas chorar
E uma lágrima, que seja, te molhar
Desculpa, mas não foi por meu querer
Tanto te pareces que me lembro de viver


Se um dia o tempo te fizer fenecer
Deixa teu perfume solto ao vento
Embora saiba que efêmero o teu será
E que o dela sempre em mim existirá


José João

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...