domingo, 11 de março de 2012

Eu e o mar





Em ondas mortas, a clamaria, meu barco dorme...
Vela caídas no lastro triste, banhado em prantos
E a brisa leve brinca com as gaivotas
Enquanto procuro no mar sereno venturosas rotas


Em mar bravio com velas soltas até navegue
Mar como vida, velas de sonho e eu naufragueii
Em ondas gigantes que a mim sugavam até que nadei
Em porto perdido de um mar revolto eu aportei


Hoje o mar tão sereno, até me assusta; até já não sei
Se devo partir, se devo sonhar o que já sonhei...
Se devo ficar, ficar e lembrar o que já chorei


Que rota eu tomo, em que  horizonte vou navegar?
O medo me toma de outra vez poder naufragar
Também já não sei se revolto sou eu ou se é o mar.


José João

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...