sábado, 24 de março de 2012

Até a saudade quer ir...





Diz que minto quando digo ao tempo
Que te perdi em cruel tormento
Diz que minto quando digo ao vento
Que meu canto é um sutil lamento


Diz que voltas e que te espere
Diz que a alma não desespere
Ou então diz o que tu preferes
Me chama louco se assim quiseres


Que louco ontem e amanhã serei
Ao lembrar tua boca que já beijei
E louco sempre eu ficarei
Ao recordar do beijo que não ti dei


Minha alma chora esse desencanto
Em tristes ais ou em tristes prantos
Até chora se eu mesmo canto
Reticente fica nos entre tantos


Então me entrego no chorar de agora
Até a saudade quer ir embora
Então a alma tristonha implora
Perdida ao tempo sem saber a hora


Se entrega toda aos meus devaneios
Não te busca pois perdeu os meios
E assim morrem os seus anseios
Por tão forte serem os meus receios.


José João

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...